quinta-feira, 7 de julho de 2011

Embaixo da sacada de Julieta



Na bela Verona...

WOW, no post anterior eu me acabei de falar sobre o livro "Julieta" da Anne Fortier, né? Então, neste, vou falar do filme Cartas para Julieta, que apesar de ter sido baseado no livro de mesmo nome, tem pouco a ver com o livro em si.

Cartas para Julieta

Ler "Julieta" me deu uma vontade louca de rever os filmes "Romeu e Julieta" que eu tinha gravado nas minhas pré-historicas fitas cassete que nem existem mais, a magistral versão de 68 de Franco Zefirelli, a de 96 com Leonardo DiCaprio de Claire Danes, e porque não, Shakespeare Apaixonado! 3 dos meus filmes favoritos, e foi então que eu descobri o filme "Cartas para Julieta", inspirado no romance homônimo de Lise Friedman e Ceil Friedman, com a fofíssima Amanda Seyfried como atriz principal.




Apesar do nome e do filme ter esse ar todo nostálgico e romântico, ele não se passa na Idade Media, mas no presente, e conta a historia de uma americana, Sophie, que vai visitar Verona com o noivo (que só pensa no restaurante que está abrindo), e descobre um habito curioso: mulheres do mundo todo escrevem cartas de amor e as colocam no muro debaixo da sacada da "Casa da Giulietta" Julieta lhe pedindo conselhos amorosos, e que, mais incrível ainda, todas as cartas são respondidas há mais de 70 anos pelas “Secretarias de Julieta”. Sophie então resolve ajudar as secretarias a responderem algumas cartas, e descobre uma carta perdida num vão do muro com 50 anos de idade.

A carta é de Claire, uma moça de então 15 anos que deixa seu grande amor por medo da reação dos pais, e se diz arrependida, mas não sabe o que fazer. Sophie, comovida, resolve responder a carta, mesmo sem saber se a moça irá recebe-la, e alguns dias depois é surpreendida com a noticia de que a moça, agora com 65 anos, não só recebeu, como também voltou à Verona acompanhada de seu neto Charlie, para tentar reencontrar este amor de 50 anos atrás, inspirada pela carta de Sophie.



Apartir daí a historia se desenrola através da busca de Claire por seu “Romeu”, que na verdade se chama Lorenzo Bartolini (uma homenagem ao Frei Lourenço da historia original?) através da cidade de Siena, aonde ele morava no passado. E nem preciso falar que a fotografia do filme é de babar! Tanto as cenas das cidades quanto dos campos e fazendas da região da Toscana são simplesmente maravilhosas!

Um comentario à parte é o visual que Sophie usa no desfecho do filme. Cheio de simbolismo, ela usa um penteado totalmente "juliético", meio preso, com uma trança linda finalizando o penteado na parte de trás. E o vestido verde também é de inspiração medieval, com a cintura alta e o decote em "V" muito caracteristico dos seculos XIII e XIV, aonde o romance Romeu e Julieta se passa. Até nisso, o filme acerta em cheio, afinal, o que seria da cena da sacada sem uma Julieta, mesmo que estilizada, para fechar o fime em grande estilo?


Eu aproveitei pra folhear o livro na ultima vez em que estive numa livraria e com certeza é um desses que temos que comprar pra guardar. Todo ilustrado e com um acabamento impecavel, o livro não é um romance, mas uma espécie de album de recortes divertido que mostra diversas cartas deixadas debaixo da sacada da Julieta, algumas de gente famosa que visitou Verona e resolveu participar desse clima romantico que a cidade tem, mas a grande maioria é de anônimos apaixonados pedindo conselhos para a mais famosa enamorada do mundo. E é claro que aproveita pra contar um pouco da história por trás da história de Romeu e Julieta além de diversas curiosidades.



Uma das cartas mais engraçadas que consegui ler do pouco que vi do livro é essa de uma menina suiça, chamada Cari:

“Querida Julieta, moro no terceiro andar de um prédio. Meus pais não permitem que meu namorado venha à minha casa. Então vou ser obrigada a ajudá-lo a entrar escondido. Mas é muito difícil. Pode me dizer como Romeu a visitava? Explique-me qual a técnica usada por ele para subir até seu quarto!
Obrigada, beijos.”
Cari V., Lausanne, Suiça.

Eu ainda não li o livro, e mesmo sabendo que o enredo do filme é totalmente diferente do livro, já tenho certeza que vou amar pois realmente amei a ideia de falar sobre as cartas respondidas pelas Secretarias da Julieta. O filme, aliás, está pra estrear no Telecine, agora, no começo de julho, uma boa dica pra quem tem TV a cabo e não está afim de gastar com locadora.

Estátua da Julieta no pátio da Casa de Giulietta em Verona

No proximo post, falarei sobre as versões cinematograficas da mais tragica historia de amor que já existiu ;)

5 comentários:

artemísia disse...

Obrigada pela dica Mara, eu não curto muito Julieta,mas acho o figurino divino, as rupas antigas são lindas e as baseadas nelas também. ^^

Poupée Glamm disse...

Esse filme, sem duvida alguma é um dos mais incriveis que eu já assisti.

A paixão que se cria entre os dois no decorrer do filme, nossa é uma delicia.

Ótimo post Mara :)

Mara Sop disse...

Ah, eu tb super me apaixonei, Elina!!!

Achei de uma sutileza tão gostosa, tão romantico e ao mesmo tempo tão real... * . *

Thamara disse...

Ai, essa carta da menina suiça é tão fofa!
Eu super gostaria de ser uma secretaria de Julieta, eu ia adorar ler essas cartas e respondê-las.

E vou baixar esse filme pra assistir!

Mara Sop disse...

Olha, Thamara, depois de ver o filme e folhear o livro, eu adoraria mandar uma carta pra Julieta, só pra poder receber a resposta... * . *

Baixa o filme sim, tenho certeza que você vai gostar XD